ShakeUp Power 100

sábado, 21 de abril de 2012

O direito ao porte de armas


Texto próprio de GermanoCWB
21 de abril de 2012

O armamento, a posse e o porte de armas sempre vão gerar muita polêmica e a habitual agressividade dos facistas de plantão, que por não se aprofundarem no assunto destilam seu totalitarismo e egoísmo em comentários vazios, onde se limitam a repetir os chavões enfiados em suas cabeças pela mídia interessada em sensacionalismos e, principalmente, nas gordas verbas federais.

E os chavões são de uma infantilidade quase idiotizada:
- As armas matam!
- É perigoso para as crianças em casa!
- Qualquer discussão no trânsito vai acabar em tiroteio!
- Até os policiais treinados são baleados, imaginem o cidadão comum!
E outras sandices.
Não cabe na cabeça de algumas pessoas que ninguém será obrigado a ter armas, e muito menos, que a decisão sobre a posse e o porte de armas é só mais um dos direitos básicos do cidadão soberano de suas escolhas, assim como comprar um carro dessa ou daquela marca (carro também mata), ter ou não ter piscina em casa (também perigoso para crianças).


Para os intolerantes simplesmente não existem estatísticas reais e históricas comprovando que o desarmamento dos cidadãos de bem faz aumentar assustadoramente a violência e a criminalidade, e, pelo lado oposto, a liberação do porte de armas faz esses índices caírem vertiginosamente pelo simples fator psicológico que nos alerta (e também aos bandidos) que a outra pessoa também pode estar armada e vai se defender.
O que ocorre hoje é que quem não cumpre a lei e anda armado, e que geralmente é um bandido, sequestrador ou estuprador, tem a certeza que a 
outra pessoa está indefesa e à mercê de sua violência. A tendência, então, é que as 'discussões de trânsito' diminuam e não acabem em violência.
Antes mesmo do desarmamento os dados já informavam que as armas de fogo estavam em quarto lugar nas causas de morte violenta no Brasil. Em primeiro lugar apareciam as armas brancas (facas e congêneres); em segundo, porretes e congêneres; em terceiro, socos e pontapés.
E então veio o desarmamento e a violência alcançou níveis nunca vistos na históriadessepaís, e as estatística não mudaram muito, o que prova que a arma de fogo não tem nada a ver com aumento da violência, muito pelo contrário.

O que aumenta a violência e a criminalidade é a falta de escolas e a falta da educação em casa, que levam à falta de perspectivas e ao desrespeito às autoridades; o desmonte das instituições que deveriam nos proteger; e a ruína da moral e da ordem. Mas os principais fatores ainda são: a impunidade trazida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente; o populismo de leis que dão mais direitos e protegem mais os marginais do que as pessoas de bem e trabalhadores; além do próprio exemplo vindo de cima, dos governos e dos parlamentares, que nos provam dia-a-dia que neste país vale a pena ser desonesto.
De qualquer forma, eu penso que as campanhas pelo armamento deveriam focar mais na questão do porte de armas e não na posse, já que qualquer cidadão que cumpra certos requisitos pode ter uma arma em casa ou no trabalho. É difícil mas é possível.
Por outro lado, o que praticamente impossível é conseguir o porte da arma, ou seja, é você ter o direito de carregar a sua arma, seja na bolsa, discretamente na cinta, dentro do seu carro, e etc. Isso é muito mais do que um gosto pessoal, é um direito que todo cidadão de bem deveria ter.
Eu duvido que um moleque chegaria na janela do seu carro parado no sinal vermelho para te roubar ou sequestrar se existisse a possibilidade de você se defender com uma arma. Duvido que os marginais agiriam com tanta tranquilidade para assaltar farmácias, postos de combustíveis, lojas e saídas de banco se houvesse a possibilidade dessas pessoas se defenderem. E até numa discussão de trânsito eu acho que os esquentadinhos valentões baixariam a bola.


Agora, só para relembrar todo o processo que nos levou a esse desastre de violência, criminalidade e ataque ao direito básico do cidadão de defender sua casa, sua família e seu comércio:


- 2003 - criado o Estatuto do Desarmamento, Lei Nº 10.826/2003, e que trata da conduta geral para a posse e o porte de armas de fogo, e deve ser lida. Para resumir ela diz que você, cidadão de bem, não vai mais poder possuir ou portar armas, a menos que preencha certos requisitos quase impossíveis.
Essa lei também definiu que em 2005 seria feito um referendo para decidir sobre o comércio de armas e munições no país.


- 2005 - É realizado o referendo com a seguinte pergunta: O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?


A população votou em massa (64% dos votos válidos) na opção NÃO, achando que assim teriam o direito de possuir e portar armas, mas a pergunta não era essa e esse direito já não existia desde 2003.
Ou seja, 64% dos brasileiros são favoráveis à posse e porte de armas, mas isso não quer dizer nada para o governo, que enganou a população.


- 2012 - O desarmamento conseguiu transformar você, cidadão de bem e trabalhador, em um alvo fácil e imóvel para os marginais de toda espécie, já que não tem o direito de defender sua família e seu patrimônio, e tampouco pode contar com a polícia desaparelhada e nem com a justiça ineficiente e morosa.
Resumindo: você foi jogado aos leões e que se dane se sua esposa ou filha forem estupradas.


Para tentar mudar esse quadro desastroso existem campanhas pela revisão ou extinção desse vergonhoso Estatuto do Desarmamento, inclusive com apoio de alguns parlamentares, como o  deputado Peninha (PMDB/SC), que já apresentou um Projeto de lei nesse sentido (o teor e a tramitação podem ser vistos aqui), além dos deputados Onyx Lorenzoni (DEM/RS), Luiz Carlos Heinze (PP/RS), Evandro Milhomen (PCdoB/AP) e Guilherme Mussi (PSD/SP) que já se manifestaram contrários ao desarmamento da população de bem e vão apoiar as iniciativas que permitam o acesso às armas.
Mas ainda é pouco!
É preciso que você também pressione os parlamentares e exija seu direito de defender a si próprio e à sua família.
É preciso que você divulgue as campanhas entre familiares e amigos.
Aqui estão alguns endereços interessantes para que você possa participar:


Siga no Twitter @campdoarmamento
Curta no Facebook Campanha do Armamento
Outros perfis e sites que também vale a pena conferir são:
Siga no Twitter @presidentemvb
Acesse Movimento Viva Brasil
Siga noTwitter @DefesaArmada
Acesse Blog Defesa Armada
GermanoCWB com base em dados colhidos na internet.
21.04.2012

5 comentários:

Campanha do Armamento disse...

Olá Germano! Parabéns pela iniciativa e muito obrigado pelo apoio.

A Campanha do Armamento é formada pelos seus membros e não por um pequeno grupo de pessoas.

Unidos somos invencíveis.

Anônimo disse...

Belo texto...

João Germano Teixeira disse...

obrigado pela visita e pelo comentário.

Blog do Ary disse...

Perfeito Germano... como sempre. Parabéns!

João Germano Teixeira disse...

Olá Ary.
Obrigado pela visita e pelos comentários.
Abraços

Postar um comentário

Agradeço muito seu comentário, porém comentários ofensivos, ou em CAIXA ALTA, ou escritos em miguxês, ou ainda em internetês serão deletados.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons